Dec 03

Convite de participação no ambiente de desenvolvimento Ginga-J

ginga-j Comments Off on Convite de participação no ambiente de desenvolvimento Ginga-J

A partir de hoje (02/12/2009) estamos disponibilizando um ambiente para acompanhamento e participação do desenvolvimento dos projetos em execução no LAVID/UFPB.

Neste momento estarão disponibilizados dois projetos em andamento: (1) uma implementação de referência Ginga-J e (2) o emulador Ginga-J.

Para acessar o ambiente, por favor acesse a seguinte URL:

http://dev.openginga.org

Inicialmente todos serão cadastrados como observadores (viewers) dos projetos, com essa permissão já é possível ter acesso às seguintes funcionalidades:

– Acompanhamento das últimas atualizações dos projetos
– Acompanhamento das atividades em andamento e planejadas
– Acesso a estatísticas do repositório do controle de versão
– Acesso ao código-fonte do repositório do controle de versão
– Wiki com material técnico sobre desenvolvimento de middleware, aplicações e Ginga-J

Como ainda estamos integrando o código do Ginga-NCL e Ginga-J, decidimos em conjunto com a PUC-Rio, hospedar o desenvolvimento Ginga-J num ambiente temporário fora do Portal do Software Público. A partir da integração das duas implementações e adaptação das ferramentas do Portal do Software Público, migraremos o ambiente para o Portal do Software Público dentro da Comunidade Ginga.

Em breve divulgaremos mais informações sobre a utilização do ambiente e participação em cada projeto.

Equipe Projeto OpenGinga: http://www.openginga.org
OpenGinga Dev List: dev@openginga.org

Fonte: Comunidade de Desenvolvimento do Projeto OpenGinga e Comunidade Ginga no Portal do Softwre Público

Tagged with:
Nov 20

UIT aprova primeira etapa de análises do “Ginga-J”

ginga-j, notícia Comments Off on UIT aprova primeira etapa de análises do “Ginga-J”

A UIT (União Internacional de Telecomunicações) aprovou na primeira etapa de análises o “Ginga-J”, parte fundamental da interatividade da TV digital promovida pelo middleware Ginga. A chegada do Ginga-J, uma tecnologia de ponta e sem os custos de royalties, quebra parâmetros do próprio conceito que se tem de TV digital no órgão. Os demais sistemas reconhecidos pela UIT – o americano (ATSC), o europeu (DVB) e o próprio ISDB, japonês posteriormente aperfeiçoado pelo Brasil – estão harmonizados em um único middleware, porém, com custos de royalties associados.

Segundo a coordenadora do módulo técnico do Forum Brasileiro da TV Digital e uma das representantes do Brasil nas reuniões da UIT, Ana Eliza Faria e Silva, a proposta levada nas reuniões em Genebra altera a arquitetura básica de middleware do órgão de forma a se assemelhar a estrutura do Ginga e inclui as novas e gratuitas ferramentas em Java. “A conquista do Ginga-J, livre de royalties, pelo Fórum SBTVD, tem sido muito elogiada pelo potencial de ganho em âmbito mundial da tecnologia”, afirma.

Em reconhecimento a contribuição brasileira, o Fórum SBTVD foi agraciado, juntamente com o Japão, com a coordenação do grupo que vai endereçar testes de conformidade e compatibilidade de middleware. A iniciativa faz parte de um esforço prioritário da UIT em apoiar centros de testes em países em desenvolvimento com o objetivo de permitir a fabricação de equipamentos com a certificação da UIT.

Em outubro, a UIT aprovou as recomendações de radiodifusão que agregaram as inovações brasileiras ao ISDBT, padrão de TV digital japonês adotado pelo Brasil. Em maio, a Norma Ginga NCL-LUA (ITU-T H.761) se tornou um dos padrões UIT para a comunicação digital por IP.

Fonte: Tele Síntese

Tagged with:
Sep 28

Disponível Especificação Java DTV 1.2.1

ginga-j Comments Off on Disponível Especificação Java DTV 1.2.1

Está disponível para download a versão (1.2.1) da especificação JavaDTV no site do Fórum SBTVD

Tagged with:
Sep 22

UFPB/Ginga-J na Comunidade Ginga do Portal do Software Público

ginga-j Comments Off on UFPB/Ginga-J na Comunidade Ginga do Portal do Software Público

A equipe da UFPB passará a dar suporte a implementação de referência do Ginga-J, ferramentas e assuntos relacionados nos fóruns da Comunidade Ginga.

Em breve também será aberta uma sub-comunidade Ginga-J no Portal do Software Público com bastante novidades sobre essa nova e rica plataforma de desenvolvimento de aplicações para TV Digital.

Fonte: Portal do Software Público

Tagged with:
Sep 10

Nova versão do openginga Liberada

ginga-j, Tutorial Comments Off on Nova versão do openginga Liberada

Foi liberada a nova versão do openGinga que traz a implementação do LWUIT adaptada para ambiente de TV, de acordo com a especificação JavaDTV.

Para baixar acesse http://www.openginga.org/download.html

Tutorial de Instalação da Máquina Virtual do OpenGinga Ginga-J no VirtualBox em Linux – por Manoel Campos da Silva Filho

Clique aqui para acessar o tutorial no site do Laboratório de TV Digital Interativa da UnB.

O mesmo também pode ser acessado no Blog b4dtv.

Tagged with:
Aug 12

Tutorial de Instalação do Open Ginga

ginga-j, Tutorial Comments Off on Tutorial de Instalação do Open Ginga

O Daniel Uchoa disponibilizou um tutorial de instalação do Open Ginga em http://www.overmedianetworks.com.br/tutorial_criacao_vm_openginga.html

Boa Diversão!!!!!

Tagged with:
Jul 03


Estou um pouco atrasado com a notícia mais ai vai, na FILS 10 foi apresentado e liberado o openGinga implementação de referência do Ginga-J, já com as primeiras implementações de funcionalidades da nova API JavaDTV, definida em conjunto pelo Fórum SBTVD e a Sun Microsystems e o download pode ser feito no site pelos links:

Site openGinga
Download
Material oficinas FILS 10

O que é OpenGinga?

OpenGinga é uma plataforma para desenvolvimento do middleware Ginga, o middleware do Sistema Brasileiro de TV Digital.

As aplicações que executam no Ginga podem ser classificadas em duas categorias dependendo se o conteúdo inicial da aplicação é declarativo ou procedural. O ambiente de execução que processa aplicações NCL é chamado de Ginga-NCL e o ambiente que controla a execução de aplicações baseadas na Java TV / Java DTV é chamado de Ginga-J.

Atualmente, estamos disponibilizando uma versão beta de desenvolvimento da implementação do ambiente procedural do middleware (Ginga-J). É importante observar que esta uma versão para desenvolvedores avançados e com conhecimento de sistemas de middleware. Em breve lançaremos ferramentas para auxiliar os desenvolvedores de aplicações.

O ambiente declarativo, Ginga-NCL, pode ser obtido através do Portal do Software Público. Em breve pretendemos disponilizar uma versõ que conterá os dois ambientes (Ginga-NCL e Ginga-J) integrados, bem com a implementação de todas as APIs Java propostas para o Ginga-J, inclusive as APIs de inovações brasileiras.

O OpenGinga foi projetado para plataformas PC com o sistema operacional Linux. Com o Openginga instalado, um computador com suporte a hardware específico, pode ser usado como um receptor de TV Digital.

Fonte: OpenGinga

Tagged with:
May 12

Java DTV entra no Ginga-J e Sun baixa em 15% preço do Java Virtual Machine

ginga-j Comments Off on Java DTV entra no Ginga-J e Sun baixa em 15% preço do Java Virtual Machine

Martelo mais que batido. O Conselho Deliberativo do Fórum SBTVD confirmou o Java DTV como parte integrante da norma Ginga-J, componente da especificação do Ginga para conversores fixos e televisores com conversores embutidos, que segue agora para consulta pública na ABNT. Um processo com duração de 30 dias, previsto para ter início o quanto antes.

A consulta pública encerra uma capítulo da história da TV Digital no Brasil, libera as emissoras, os produtores de conversores e os desenvolvedores de software para darem início à criação de aplicações interativas, e abre mais uma etapa para os trabalhos do Fórum, que mais adiante precisará pensar em como certificar padrões mínimos de interatividade.

Em entrevista à coluna Circuito, o presidente do Fórum SBTVD, Frederico Nogueira, informou que houve uma renegociação com a Sun Microsystems – após a adesão do Peru e a promessa quase concreta da também adesão da Argentina ao SBTVD – e a empresa baixou em 15% o valor do Java Virtual Machine. Portanto, o preço máximo não chegou nos US 0,40 pretendido pela indústria. Mas, com os 15% de desconto, foi considerado bastante competitivo pela maioria.

“Esperamos agora que os primeiros conversores com Ginga comecem a ser vendidos já no último trimestre deste ano, quando também começarão a surgir as primeiras transmissões de aplicações interativas, já que muitas emissoras e desenvolvedores de software estão bastante adiantados”, afirma Frederico Nogueira.

Segundo o executivo, só depois do mercado consolidado, com as primeiras aplicações seguindo a norma já no ar, o Fórum se preocupará em, havendo necessidade, atuar mais ativamente na normatização das aplicações.

“Por hora, acreditamos que o selo DTV, já em uso na nossa campanha publicitária, é suficiente para atestar ao consumidor que os conversores e televisores identificados com ele são aderentes às normas definidas pelo Fórum SBTVD. Inclusive às normas Ginga”, explica Frederico.

Na próxima quinta-feira, a Sun fará nova apresentação do Java DTV para a comunidade de desenvolvedores Java, em São Paulo. Estarão presentes algumas das empresas “bem adiantadas” no desenvolvimento de aplicações interativas, como a Rede Globo e a a TQTVD, desenvolvedora do middleware AstroTV, uma das primeiras implementações do Ginga disponível no mercado, e que foi usada sexta-feira passada na demonstração de interatividade plena com a TV Digital aberta, com intervenção em tempo real na programação do SBT, durante inauguração da fábrica da MXT Industrial. Os modens Phoenix, da MXT, foram usados como canal de retorno da aplicação.

O modem é um “dongle”, como os vendidos pelas operadoras de telefonia celular para notebooks. Suporta chips com pacotes para comunicação de dados nos padrões GPRS e EDGE. Na demonstração feita na fábrica da MXT o modem foi integrado a um conversor STB da Visiontec.

“O legal deste modem é que ele integra um GPS. Infelizmente não chegamos a desenvolver uma aplicação que demonstrasse este potencial”, explica David Britto, diretor da Quallity e da TQTVD.

“O mais interessante da demonstração é que todos os elementos eram fabricados no Brasil: STB, Modem, Middleware e Aplicação. Quantos países são capazes disto?”, questiona David.

Tagged with:
Mar 12

Ai vai o link da API JAVA DTV 1.0 para download.

O imagem seguinte mostra o contexto em que a especificação Java TVD é colocado:


A especificação Java TVD consiste em Java TVD APIs e Java TV API, adicionado à base comum de componentes incluindo o Java Runtime Connected Device Configuration, Foundation Profile, e a Personal Basis Profile.

O Java DTV API é ilustrado como segue:

Tagged with:
Feb 05

Sun Microsystems entrega especificações Java DVT para Ginga-J sem cobrança de royalties

ginga-j, TV digital Comments Off on Sun Microsystems entrega especificações Java DVT para Ginga-J sem cobrança de royalties

JavaDTV é uma especificação completamente livre de royalties e veio para substituir as APIs do GEM o padrão internacional de middleware para TV Digital que tinha o problema de pagamento de royalties no Brasil. Além disso estão incluidas as APIs de inovação brasileira desenvolvidas pelo LAVID/UFPB.

O Sistema Brasileiro de TV Digital (Fórum SBTVD) recebeu da Sun Microsystems, Inc. (NASDAQ: JAVA) a Especificação Java DTV, uma plataforma aberta, interoperável e sem cobrança de royalties que permite a implementação de serviços interativos com a linguagem Java de código aberto para Ginga-J, o Padrão da TV Digital Brasileira.

“As especificações de padrão aberto desenvolvidas pela Sun Microsystems oferecem liberdade e maior segurança para o futuro da TV Digital,” disse David Britto, do Conselho Deliberativo do Fórum SBTVD.

Luiz Maluf, diretor da Sun Microsystems, aponta que esta é uma questão crítica para todos os países que implementaram ou pretendem implementar o sistema de TV digital. De acordo com Maluf, o Brasil lidera um processo de inovação mundial, pois essa especificação pode ser usada tanto para a transição do formato analógico para o digital, quanto para a implementação do novo modelo.

Depois da aprovação, o próximo passo será converter as especificações em padrões que, no futuro, poderão ser alavancados para desenvolver soluções interativas para a TV Digital. Como o Ginga-J é a única especificação sem cobrança de royalties disponível, espera-se a adoção dessa especificação em termos globais.

Entre os benefícios do código aberto, Britto e Maluf disseram que, além dos fabricantes de dispositivos, as emissoras estarão livres para desenvolver aplicações que permitam aos consumidores brasileiros acessar uma série de serviços digitais interativos sem royalties. “Considerando-se os 100 milhões de aparelhos fixos, e mais de 100 milhões de aparelhos DVT móveis, o volume de licenças seria incalculável,” disse Maluf.

Outro benefício da plataforma aberta Java DTV para Ginga-J é o fato de que ela permite produzir aparelhos de TV e/ou conversores por um custo muito mais acessível, pois o preço final do software será menor.

Além da redução dos custos, outros fatores impactam positivamente a adoção da nova plataforma, incluindo a comunidade brasileira de desenvolvedores em Java, que é a segunda maior do mundo. De acordo com Jeet Kaul, vice-presidente de software cliente & engenharia Java da Sun Microsystems, a comunidade brasileira é a mais empenhada. Os dados da companhia mostram que há aproximadamente 34.000 desenvolvedores locais de Java certificados, e uma população geral de técnicos, programadores e engenheiros habilitados em Java de 110.000. Isto resulta no projeto de uma série de aplicações para a TV Digital Brasileira.

O trabalho foi desenvolvido de forma colaborativa pelas equipes alemã e americana da Sun Microsystems, juntamente com oito companhias e institutos de pesquisa do Brasil, afiliados ao Fórum SBTVD.

A equipe de coordenação foi formada internamente pelo Fórum SBTVD, e conta com representantes de três forças tarefa – Mercado, Técnica e Propriedade Intelectual.

Sobre o Fórum Brasileiro de TV Digital

O SBTVD Fórum é uma organização sem fins lucrativos, criada com o objetivo de auxiliar e estimular o desenvolvimento e a implementação das melhores práticas para imagens digitais, recepção sonora e também para o sucesso das transmissões de programas no Brasil. Seu quadro de afiliados é composto por emissoras de TV, fabricantes de equipamentos para transmissão e recepção, e fornecedores da indústria de software que representam mais de 80% da indústria. Entre os membros também estão o governo federal e entidades de pesquisa e de educação que desenvolvem atividades que dão suporte ao sistema brasileiro de TVD. O Fórum é responsável pela definição de padrões e regulamentação para o sucesso da implementação da infra-estrutura da TV Digital no Brasil, e pela comunicação de informações sobre o programa do sistema no Brasil e no exterior.

Para baixar a da Especificação clique Java DTV

Fonte: Fórum SBTVD

Tagged with:
preload preload preload