Apr 29

Logo Ginga-DF Apoio a Interatividade

A decisão seria tomada hoje, mas foi atropelada pela posição do governo, expressa pelo Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, que quer “interatividade máxima” na caixinha. As teles e a radiodifusão queriam “interatividade mínima”.

O Gired – Grupo de implantação da TV digital – decidiu adiar para o dia 15 de maio a decisão sobre como será a especificação do conversor da TV digital que será distribuído para as 14 milhões de cadastradas no Bolsa Família. A decisão seria tomada hoje, mas foi atropelada pela posição do ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, que, na Câmara dos Deputados, disse que o governo quer o conversor com a interatividade máxima, com canal de retorno, e Ginga C.

Segundo o conselheiro da Anatel,Rodrigo Zerbone, o grupo – que é formado por representantes da operadoras de telecomunicações, por radiodifusores e por técnicos da agência – decidiu adiar a decisão sobre a caixinha que será comprada porque “são muitas as especificações técnicas e não houve tempo hábil para a tomada de decisão”. Conforme o conselheiro, o Gired busca tomar suas decisões com base no consenso, mas se ele não for conquistado até a reunião do dia 15, o governo irá tomar a decisão.

Ele salientou que, mesmo que a especificação do conversor descrita pelo ministro seja a palavra final, o grupo técnico precisa estabelecer os requisitos para o funcionamento deste conversor. “Mesmo se for definido o Ginga C, é preciso saber qual é a memória que será instalada no conversor, por exemplo”, assinalou. O conselheiro disse ainda que algumas pessoas do grupo consideram que o Ginga C – que permite o maior grau de interatividade – não é uma tecnologia madura e poderá trazer problemas para a recepção dos sinais de TV.

Zerbone lembrou que o Gired – que tem R$ 3,6 bilhões para a aquisição dos conversores, para a limpeza da faixa de frequência para a banda larga móvel e para a veiculação publicitária sobre o desligamento do sinal analógico de TV – trabalha com a perspectiva de gastar apenas este montante com todo o processo de transição da TV analógica para digital.

“ O governo não vai pagar mais nada. Já pagou R$ 3,6 bilhões, que iam entrar para o Tesouro e vai para o processo de TV digital. O governo abriu mão do dinheiro e tem o compromisso de não ultrapassar o valor. Se, por acaso, mesmo com todas as precauções, este teto for ultrapassado, o edital é claro: as empresas de telecom é que terão que colocar mais dinheiro” , afirmou Zerbone, referindo-se ao leilão de 700 MHz, quando o edital previa que do total a ser arrecadado com a venda da frequência de 4G, uma parte seria deslocada para financiar o desligamento da TV analógica aberta.

Observou que o impacto financeiro dos conversores, de qualquer forma, só será maior em 2018, já que em 2016 e 2017 as cidades atingidas com o swith off da TV não alcançarão mais do que 2 milhões de famílias de baixa renda.

Pesquisa

Mas se o Gired adiou a decisão sobre o conversor, outras decisões importantes foram tomadas. Entre elas, para o atendimento da meta de 93% da população atendida com TV digital antes de ocorrer o desligamento da TV analógica, a pesquisa será feita entre os que têm TV aberta terrestre, os que têm TV por assinatura, TV por satélite concomitantemente à TV aberta. Não serão computados neste cálculo aqueles que têm exclusivamente a TV paga ou a parabólica.

“A pesquisa da região do desligamento na amostra deve identificar se 93% das pessoas que assistem a TV terrestre são capazes de assistir a TV digital”, salienta Zerbone. Segundo o conselheiro, se a Anatel decidir pelo conversor híbrido de TV DTH (que obriga a instalação de antenas para a recepção de todos os canais da TV aberta), esses usuários serão somados àqueles que deverão constar da base dos 93% a serem atendidos com a TV digital, pois também estarão assistindo à TV aberta terrestre.

Antenas e Filtros

O Gired decidiu hoje também que todas as antenas internas a serem compradas para o Bolsa Família terão que ter capacidade de receber os sinais UHF e as antenas externas, os sinas UHF e VHF. Segundo a agência, existem mais de oito fornecedores no Brasil que podem vender essas antenas.

Foi definida também a especificação técnica do filtro que será usado para evitar a interferência entre os serviços. Para este filtro, o grupo identificou sete fornecedores . Já para o conversor, existem mais de 10 fornecedores para o modelo mais simples. A próxima reunião ordinária do Gired está marcada para o dia 27 de maio.

Fonte: Tele Síntese



Gostou? Compartilhe!!!

Comments are closed.

preload preload preload