Nov 18

Set-Top_BoxPara o presidente da empresa, Antônio Carlos Martelleto, se não houver mudança no critério que exclui as casas com TV paga na conta de quem já tem TV digital, ’em nenhuma cidade do país será atingido o critério de 93%’. E, conforme o executivo, a EAD trabalha com o cronograma oficial, que estabelece o desligamento das TVs em Brasília para abril de 2016.

A 16 dias de 29 de novembro, quando deveria ser o último dia para o desligamento da TV analógica em Rio Verde, Goiás, e ainda com muitas questões a serem definidas – principalmente o que fazer após esta data – já que é dado como certo que não será possível ocorrer esse desligamento, a EAD – Entidade Administradora da Digitalização, empresa criada pelas operadoras de celular para tocar o processo – já começa a traçar o cronograma para a distribuição dos conversores em Brasília, pois pelo cronograma oficial, a TV analógica deverá ser desligada em abril de 2016 na capital da República.

Segundo o presidente da entidade, Antônio Carlos Martelleto, em Rio Verde as pesquisas de opinião indicam que 98% da população já sabe sobre o desligamento e a necessidade da mudança do aparelho de TV, mas como em toda a parte do mundo onde já foi feito esse processo, as pessoas só se mobilizam no último momento. E para isso, defende o executivo, não basta apenas a campanha de mobilização que está sendo feita, mas é preciso intervenções mais invasivas na programação para tirar as pessoas do “conforto”.

Essa campanha não foi porém decidida na reunião de ontem do Gired. Há duas propostas na mesa, com o bloqueio mais intenso na programação, da Anatel, e outra da radiodifusão, com início de bloqueio nos horários pré-comerciais.

Por trás dessa disputa está justamente o número de pessoas que já têm a TV digital na cidade. A radiodifusão só aceita intervenções maiores na programação quando a TV digital estiver praticamente universalizada. Os operadores de celular argumentam que se não houver intervenções mais firmes, a universalização não ocorre, justamente porque as pessoas continuam a assistir à TV.

Pesquisa

Mas, se antes havia um questionamento velado sobre o critério adotado pelo Gired (grupo que tem a presidência da Anatel e participação dos dois segmentos econômicos) para a comprovação do acesso aos sinais de TV – 93% das casas com transmissão de TV terrestre, sem considerar os assinantes de TV paga ou a transmissão por parabólica – agora, a reivindicação das teles é pela mudança do critério. ” Com esse critério, que significaria na prática 100% de todas as casas, não atingiremos nenhuma cidade do país”, diz o executivo.

O ministro das Comunicações, André Figueiredo, disse, durante o IGF 2015, em João Pessoa, que o desligamento dos sinais de Brasília deveria ocorrer após as Olimpíadas, em setembro ou outubro e as demais cidades, São Paulo e Rio de Janeiro, também previstas para o próximo ano, deveriam levar em consideração as eleições municipais do próximo ano, que ocorrem em outubro.

Quanto a Rio Verde, o ministro admitiu mudar os critérios da pesquisa, somente para esta cidade, para acelerar o processo de desligamento após o dia 29, e defendeu maior intervenção na programação. Mas acreditava ser possível acordo entre os diferentes segmentos. Agora, tudo indica que terá que intervir.

Fonte: Tele Síntese



Gostou? Compartilhe!!!

Comments are closed.

preload preload preload