Sep 02

Imagine receber na tela da TV informações a respeito de direitos como acesso a serviços públicos ou sobre orientação financeira. Essas são algumas das aplicações de interatividade do sistema digital que estão sendo desenvolvidas pelo Projeto Brasil 4D, apresentado na última sexta-feira, 30, em painel do 4º Fórum Internacional de Mídias Públicas.

O projeto, coordenado pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), foi iniciado em dezembro do ano passado e selecionou 100 famílias beneficiárias do Programa Brasil sem Miséria em João Pessoa. Elas testaram aplicativos desenvolvidos para interatividade com a televisão digital, usando softwares livres.

“Foi um trabalho de formiguinha, montamos um projeto inédito e, para tal, tivemos que descobrir toda uma linguagem interativa que fosse acessível para a população”, disse o coordenador-geral do projeto e superintendente de suporte da EBC, André Barbosa.

Na tela da TV, os moradores tiveram acesso às ofertas de empregos da sua cidade, cursos de capacitação e orientações para obtenção de documentos, além de informações sobre serviços e benefícios do governo federal, como aposentadoria, campanhas de saúde e programas Bolsa Família e Brasil Carinhoso, entre outros.

Segundo a professora da Universidade Católica de Brasília (UCB), Cosette Espindola de Castro, os testes mostraram que, após a ambientação com o sistema, as pessoas passaram a otimizar recursos com as informações disponíveis sobre os serviços.

“Um exemplo foi o caso da oferta de emprego. Com a interatividade, as pessoas recebiam informações atualizadas semanalmente e não saiam de casa desnecessariamente para buscar emprego, e não teriam que gastar dinheiro com transporte e comida” disse Cosette, que participou de um estudo para avaliar os impactos do projeto.

De acordo com o levantamento, 64% das famílias disseram que o uso da interatividade reduziu despesas para conseguir uma informação a respeito de oferta de emprego ou obtenção de documentos.

“Trabalhamos com famílias de baixa renda de bairros periféricos e que apenas 6% delas tinham acesso à internet. Ou seja, elas também passaram a ser incluídas social e digitalmente” disse Cosette.

O Projeto Brasil 4D foi premiado com o Troféu SET 2013, durante o Congresso da Sociedade de Engenharia de Televisão (SET), no dia 20. No mesmo dia, recebeu a menção especial da LA Cumbre TV Abierta 2013, em Nova York, pela contribuição para a TV aberta. O evento é um fórum anual que debate a indústria e o mercado de TV aberta.

Fonte: FNDC



Gostou? Compartilhe!!!

Comments are closed.

preload preload preload