Sep 24

Ferramenta dá informações adicionais a telespectadores, técnica concebida na FEEC coloca na tela, via internet, conteúdo interativo.

Uma técnica desenvolvida na Unicamp vai permitir que o telespectador, ao assistir a um filme na TV digital, acesse na própria tela informações complementares como sinopse, críticas, direção, histórico do elenco, premiações, fotos, vídeos e outros conteúdos relacionados disponíveis via internet. Como instrumento de navegação, o controle remoto. O modelo é fruto da tese de doutorado de Rodrigo Cascão Araújo, orientada pelo professor Ivan Luiz Marques Ricarte e defendida na Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC).

O autor da tese observa que a integração da internet e das tecnologias de comunicação móveis com as plataformas de televisão têm provido os telespectadores de novos serviços interativos de conteúdo digital. “Por causa disso, os equipamentos para o consumidor têm se tornado cada vez mais sofisticados, suportando uma variedade de conteúdos e conectividade com outras redes e dispositivos. Diante do crescimento do volume e da diversidade de conteúdos multimídia, a televisão está enfrentando os mesmos desafios de complexidade e excesso de informações que já vinham sendo encarados por outras mídias digitais rela cionados à internet.”

Segundo Rodrigo Araújo, a ideia é que usuário da TV digital possa pesquisar os conteúdos facilmente, a partir da própria grade de programação que as emissoras transmitem com o sinal. “A novidade está na técnica de integração de ontologias e metadados desenvolvida por nós. O sistema é automático, não depende de ser alimentado porque captura a informação já existente. O guia enviado pela emissora, que chamamos de EPG, traz somente o básico – nome e descrição do programa, elenco, classificação etária – mas isso já é suficiente para que o sistema rastreie informações adicionais em repositórios da internet de forma inteligente.”

Ao leigo convém um parêntese para explicar a terminologia que dificulta compreender o próprio título da tese: “Alinhamento de metadados da indústria de broadcast multimídia no contexto da TV digital com a web semântica”. Web semântica é uma extensão da internet que permite interligar significados de palavras e, assim, atribuir um sentido aos conteúdos. Metadados são dados sobre um dado, ou seja, outras informações sobre determinado conteúdo. E ontologia é um modelo de dados, um conjunto de conceitos sobre indivíduos, classes, atributos e relacionamentos.

Ronaldo, Quem?

O pesquisador lembra que cada vez mais utilizamos diferentes dispositivos (celulares, tablets) para acessar os mesmos conteúdos e, cada vez mais, esses dispositivos estão conectados. “É um volume muito grande de informações. Para organizá-las existem tecnologias que tornam a web mais inteligente e facilitam a pesquisa

Uma delas é a de metadados – dados que complementam as informações digitais dos conteúdos multimídia, com o objetivo de descrevê-los de forma sintática e semântica, facilitando a estruturação e o gerenciamento de tanta informação.”

Rodrigo Araújo toma o exemplo de um jogador de futebol chamado Ronaldo para ilustrar como uma palavra-chave pode ter significados diferentes, conforme o contexto. “É preciso haver inteligência para o computador identificar se aquele Ronaldo é o ‘Fenômeno’ ou o ‘Gaúcho’. A inteligência pode ser fornecida pela tecnologia de metadados, muito utilizada dentro da web semântica que, por sua vez, permite que os computadores conversem entre si e façam associações de informações.”

O engenheiro informa que atualmente existem diversas especificações de metadados utilizadas pela indústria de broadcast multimídia em redes de TV Digital; e, também, que existem na internet diversos repositórios de informação baseados em metadados que complementam as informações de metadados da TV Digital. “Contudo, como os padrões são baseados em diferentes especificações, surge o problema de como integrar essas informações. O que a tese propõe é um processo para alinhamento das especificações, a fim de que o telespectador utilize tanto informações de metadados da TV digital como da internet.”

Padrão Ginga

Visto que o país passa por um processo de digitalização das transmissões de TV, o pesquisador atenta que o aplicativo funciona no padrão Ginga – a linguagem desenvolvida para a TV digital brasileira e estabelecida para todos os televisores que estão saindo de fábrica. “Nesse padrão é possível consultar as informações complementares navegando com o controle remoto. Abre-se uma tela translúcida em cima da imagem, com os devidos interlinks para a busca nos repositórios da internet.”

De acordo com o engenheiro, o sistema foi validado através de uma prova de conceito implementada em um receptor híbrido de TV digital, que demonstrou a viabilidade de sua operacionalização sem a necessidade de impactar os padrões utilizados no Brasil para transmissão de sinal de TV digital terrestre (ISDB-T). “Basicamente, é preciso instalar esse aplicativo Ginga no televisor. E esse aplicativo pode até ser transmitido com o sinal da emissora: quando recebido, ele já se instala e inicia todo o trabalho.”

Rodrigo Araújo é diretor comercial de uma empresa que desenvolve uma série de equipamentos para que as emissoras realizem a migração do sinal analógico para o digital. “O fato de eu já ter contato tanto com emissoras de TV quanto com fabricantes de dispositivos é uma vantagem, mas o aplicativo ainda está em estágio de protótipo, funcionando em cima de um emulador. Ainda trabalho numa versão mais amigável, com nomenclaturas menos técnicas e mais claras para os usuários.”

Produtor Inovador

O pesquisador também pretende submeter um projeto a agências de fomento como Fapesp e Finep, que oferecem recursos para o desenvolvimento de produtos inovadores. “Quero fazer uma análise detalhada de modelos de negócio para que o produto consiga se pagar e que pode ser baseado, por exemplo, em publicidade. Também penso numa versão voltada a celulares  e tablets que já oferecem acesso à TV – esses usuários têm mais facilidade de interagir com dispositivos móveis do que com o controle remoto.”

Ainda entre os trabalhos futuros, Rodrigo Araújo vê a possibilidade de se fazer consultas personalizadas avançadas, como por exemplo, a respeito de quais diretores já trabalharam com a protagonista de determinado filme e de outros filmes em que ela atuou; e, inclusive, criar uma espécie de rede social em que o usuário possa enviar o link aos amigos para gerar comentários. “O mecanismo que desenvolvemos pode ser estendido para diversas aplicações, mas pretendo ficar um pouco mais na pesquisa, trabalhando em um artigo para submeter a uma revista científica internacional, o que é desejo do meu orientador, professor Ivan Ricarte. Depois vamos focar esforços no produto.”

Publicação

  • Tese: “Alinhamento de metadados da indústria de broadcast multimídia no contexto da TV digital com a web semântica”
  • Autor: Rodrigo Cascão Araújo
  • Orientador: Ivan Luiz Marques Ricarte
  • Unidade: Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC)
  • Fonte: Jornal da Unicamp (clique aqui para baixar a notícia)

Fonte: Fórum SBTVD



Gostou? Compartilhe!!!

Comments are closed.

preload preload preload